Bate-papo com o doutor

10
SET
2012

Sabe da Última?

Edgar

Quando fui pra Minas, nas férias de julho, encontrei meu querido tio Edgar que, antes mesmo de me dar “oi”, falou de longe: “Tô adorando seu blog!”, eu fiquei surpresa! Um homem, quase na casa dos 60, seguindo o Melhor aos Quarenta?! Ele percebeu logo minha cara de “como assim?!” e explicou com o delicioso sotaque daquela terra: “uai, Rê, você fala com meu público-alvo, é claro que eu me interesso, e muito!”. Agora sou eu quem explico: ele é ginecologista, um dos poucos da pequena cidade natal da minha avó, da minha mãe e dele, no Sul de Minas.

Voltamos lá neste feriado e meu tio falou de novo que não perde um post. Então, eu perguntei: “você me daria uma entrevista?”. Ele topou, claro! Pegou um copo de cerveja, acendeu um cigarro de palha e perguntou: “já pensou nas perguntas?”. Eu disse que queria saber o que acontece dentro do corpo da mulher nas proximidades dos 40 anos e aí o papo foi embora…

De uma maneira geral, aos 40 anos o sistema reprodutor feminino ainda está funcionando, as chances de engravidar são menores, mas existentes. No entanto, a qualidade do material genético começa a cair a partir dos 35 anos de idade, aumentando os riscos de má formação do bebê.

A sexualidade está a pleno vapor, mas o corpo está se encaminhando para o climatério, período em que os ovários vão começar a parar de funcionar. Nesta fase, a menstruação se assemelha à menarca, que é aquele período da adolescência em que os ovários começam suas atividades – a menstruação é irregular e o fluxo também, às vezes pula um mês, às vezes vem duas vezes num mesmo mês, tem hora que desce pouquinho, em outras parece hemorragia. A maioria das mulheres entra no climatério na faixa dos 45 anos e além das irregularidades no ciclo menstrual, pode observar mudanças de humor (sempre pra pior, óbvio!), ressecamento da pele, incluindo na região vaginal, as famosas ondas de calor e redução da libido. Fala sério! A natureza não dá trégua pra gente!

A reposição hormonal, tida como a solução para todos os males das mulheres de meia idade há poucos anos atrás, já está sendo vista com muito mais cuidado, principalmente por causa do aumento dos casos de câncer diretamente relacionados à ingestão indiscriminada dos hormônios. É necessário avaliar com cuidado, caso a caso.

O climatério se encerra com a chegada da menopausa, quando os ovários penduram as chuteiras de vez e deixamos de menstruar. Também não existe uma idade certa para acontecer, mas pode se estender até os 50-55 anos, ou seja, ainda não precisamos pensar nisso.

Eu estou com 37, então devo ter mais uns 8 ou 10 anos pela frente antes de começar a passar por tudo isso, mas, pensando bem, deixar de ficar menstruada não deveria, necessariamente, ser uma coisa ruim – eu, pelo menos, não conheço uma só mulher que adore ficar menstruada, ao contrário, é um saco. De qualquer forma, parece que a ideia mexe muito com a nossa auto-estima e eu acho que isso deve estar diretamente ligado à sexualidade em si… talvez a gente envie pra nós mesmas mensagens do tipo “já não sou mais atraente” ou “não sou mais capaz de despertar interesse” ou “não sou mais desejável”, talvez a gente se envergonhe do próprio corpo, inevitavelmente menos firme e vigoroso. Então, é hora de lembrar que temos a experiência a nosso favor e, poxa vida, como isso conta!

Provavelmente eu ficaria encabulada num papo desses com o meu tio, mas como estava conversando com o Dr. Edgar fiquei muito à vontade e perguntei sobre o que fazer pra prolongar uma vida sexual prazerosa.

As dicas dele foram:

- Leve uma vida saudável, praticando atividades físicas regularmente e alimentando-se bem

- O corpo saudável alimenta a auto-estima e auto-estima elevada é um afrodisíaco natural poderoso

- Adapte-se às transformações do seu corpo ao invés de aborrecer-se com elas

- Use lubrificantes vaginais, eles tornam o sexo mais prazeroso para a mulher e para o homem

- Preocupe-se com a qualidade e não com a quantidade

As minhas dicas são:

- Alimente o romance

- Não deixe de elogiar quem você ama

- Dialogue sobre o tema com clareza e bom humor

- Brinque, provoque, mostre-se interessada

- Filmes e livros românticos (e levemente picantes) podem ser muito estimulantes

- Meia-luz, sempre à meia-luz! Celulite e outras imperfeições desaparecem…

Outras informações importantes que ele colocou a respeito dos cuidados com a saúde da mulher a partir dos 40 são:

- Visite seu ginecologista anualmente ou sempre que observar algo irregular no funcionamento do seu organismo.

- É recomendável que a primeira mamografia seja realizada aos 35 anos. A partir dos 40, ela é recomendada de 2 em 2 anos, em caso de mamas normais (tipo 1 ou 2). No entanto, se a mama apresentar alguma irregularidade ou tendência a nódulos malignos, a periodicidade do exame deve ser anual.

- O papanicolau, exame preventivo de câncer no colo uterino, deve ser feito anualmente, assim como o ultrassom transvaginal que avalia a saúde do sistema reprodutor como um todo.

É isso aí, meninas. Cuidem-se!

linha1 Bate papo com o doutor

Dr. Edgar Gomes Filho é ginecologista e obstetra há 31 anos, formou-se pela Faculdade de Medicina de Barbacena, MG e fez especialização no Hospital Felício Rocho, em Belo Horizonte, sob chefia do prestigiado Dr. Mario Dias Correa.

comentários

  1. Lela Valias disse:

    Gente, apesar de morrer de vergonha de mostrar a “piriquit ma” pro titio, jamais confiaria tanto em outro médico …. Esse meu tio e fera e um ser humano unico… Te amo tio!

envie seu comentário

maisquarenta

Edgar

Bate-papo com o doutor

Quando fui pra Minas, nas férias de julho, encontrei m...