Bagagem Cheia

30
JUL
2012

Descobertas

RioGrandeCapa

Eu gosto de fazer muita coisa nesta vida, mas se fosse preciso fazer uma seleção e escolher as cinco preferidas, uma para cada dedo da mão, certamente seria: namorar meu marido, curtir meus filhos, viajar, assistir filmes, ler/escrever (esta última eu conto como uma coisa só, porque pra mim é como inspirar e expirar – dois movimentos necessários para uma única ação, respirar) – se não estiverem de acordo, lamento muito, mas a lista é minha!

No entanto, se eu tivesse que fazer a seleção da seleção e escolher o que mais gosto de fazer na vida, então diria que é viajar, claro. Quando eu viajo, namoro (muito) meu marido, curto (muito) meus filhos, leio/escrevo e, se der vontade, assisto um filme – tudo isso num lugar novo, escolhido com cuidado, num ritmo diferente, conhecendo culturas, pessoas, cheiros e sabores. Quando eu viajo, me deslumbro o tempo todo, meus sentidos se dilatam, passo a ser movida pela energia solar e nada me cansa, minha tolerância duplica e a curiosidade também. Viro uma esponja, absorvendo tudo (aliás, acho que viro o próprio Bob Esponja, porque fico boba e feliz)!

Na semana passada, como sabem, estive no Rio Grande do Sul, conhecendo e me encantando com esta região tão linda do nosso Brasil. Fomos ciceroneados por um casal de amigos pra lá de queridos, que moram em Porto Alegre há 3 anos e têm filhos em idades próximas às dos meus (melhor, impossível). Outro casal de amigos que mora em Jundiaí, também foram com seus dois pimpolhos fofos. Somamos 12 pessoas, entre adultos e crianças, uma galera muito da boa! Qualquer lugar estaria muito bom na companhia desta turma! Eles nos mostraram o que viram de mais bonito nesta região nos últimos anos, estivemos em Porto Alegre, Gramado (4 graus durante o dia!), Canela e Cambará do Sul, cidade-dormitório para quem quer conhecer o Parque Nacional dos Aparados da Serra, um lugar onde a mão do Criador foi extremamente generosa! (Vale dizer que os melhores restaurantes também estavam incluídos no roteiro, portanto, sejam também vocês generosos comigo no dia da prestação de contas da dieta! Tá chegando o dia do retorno na nutricionista…)

Esta viagem já entrou pra Galeria-das-Decisões-de-Última-Hora-Que-Dão-Certo – foi curta, rápida e sem grandes expectativas, mas a bagagem voltou cheia de lembranças boas, experiências gostosas e ótimas fotos, como todas as outras viagens!

Senti vontade de dividir com vocês…

RioGrande11 Bagagem Cheia

linha4 Bagagem Cheia

RioGrande2 Bagagem Cheia

linha5 Bagagem Cheia

 

Como tudo começou…

23
JUL
2012

Inspirações

Sunshine

No dia 17 de dezembro do ano passado, por volta das 6h da tarde, enquanto eu passava pela Rua Euclides da Cunha, na Vila Ema, no caminho de volta do trabalho, aconteceu uma coisa. Lembro de estar com o rosto franzido e com um dos olhos fechados porque o sol estava muito baixo, na reta do parabrisas, me deixando meio cega. Não teria guardado a data, o horário, o lugar, todos os detalhes, se não tivesse sido um momento sensacional, que viraria minha vida do avesso (ou talvez ela estivesse do avesso e tenha passado pro lado certo depois disso). Acho bonito que tenha acontecido assim, nem sempre as coisas têm um marco, um instante, é muito mais comum elas irem se desenrolando, acontecendo aos poucos, emendando uma na outra. O fato é que acredito que eu estava pronta, estava aberta e então, aconteceu. Foi uma voz que saiu de dentro de mim e sussurrou assim: “um blog” e no segundo seguinte, eu repeti, com a voz bem mais forte: “um blog, é isso, é isso!!!”. Mililitros de adrenalina sapatearam no meu estômago, como eu não tinha pensado nisso antes?, soltei umas gargalhadas, bati palmas, abracei o volante, pensei em Deus e comecei a organizar os pensamentos, mas antes de chegar em casa já tinha dado como certo que ia acontecer, o Melhor aos Quarenta não tinha nome, nem forma, mas nascia ali.

Escrever, vocês sabem, é uma paixão antiga, mas como transformar isso em profissão? Era tão remota a chance de eu conseguir escrever um livro, de alguém se interessar em publicar e de outros quererem ler, que eu nunca pensei seriamente em parar tudo pra me dedicar a isso, deixava para um futuro muito distante. Quando a ideia do blog surgiu, trouxe meus sonhos pra uma escala muito mais próxima, mais real, mais possível. Ainda assim, não imaginei largar tudo. Comecei pesquisando o assunto, entendendo as demandas da vida de um “blogueiro” (não gosto muito deste termo), as perspectivas, prós, contras, avaliando os temas que poderia abordar e pra quem escrever. Percebi logo que não seria difícil começar, mas que precisaria me dedicar inteiramente pra desenvolver um trabalho legal. Eu tinha uma agência de eventos, empresa consolidada com 8 anos de existência, tinha uma equipe ótima e uma carteira de clientes considerável – como abrir mão de tudo isso? Difícil, muito difícil. Duvidei que conseguiria.

{Imaginem uma linha do tempo, igual àquelas que os professores usam nas aulas de História. Muito bem, estava eu em cima da minha linha do tempo, onde ela marcava 37 anos, então parei, me equilibrei em cima da linha, olhei para frente e vi um monte de pontos de interrogação, depois olhei pra trás e gostei do que vi, das coisas que construí, dos sucessos que tive, das dificuldades transpostas; acontece que próximo da marquinha dos 36, comecei a ver tensão, cansaço, desmotivação, muita angústia e uma vontade saltitante de mudar. Então, olhei para os lados e vi a linha do tempo dos meus filhos (ela avança sem pausa), quis muito entrelaçar nossas linhas e prolongar o tempo com eles. Resolvi sentar pra pensar um pouco mais, cruzei as pernas sobre a linha e enterrei o rosto nas mãos, olhando pro chão; vi passando bem junto de mim a linha do tempo do meu marido, que me acenou e disse: “vai em frente!”}. Fui, ou melhor, vim.

A julgar pelo meu entusiasmo a cada novo post, não tenho dúvidas que a vida pode mesmo ser bem melhor aos quarenta! Alguns podem dizer que o Universo conspirou a meu favor, outros que foi a conjuntura planetária, tem quem diga que foi pura insanidade e um monte de gente chama de insight. Eu chamo de Providência Divina. (Obrigada, Pai do Céu!)

Quis dividir esta experiência com vocês por pura gratidão. Enquanto vocês estiverem por aqui, eu também vou estar.

Hoje é o Dia do Amigo!

20
JUL
2012

Inspirações

Amigas

Numa pesquisa rápida na internet descobri que a amizade é comemorada em diferentes dias mundo afora, mas hoje, 20 de julho, é o dia escolhido por vários países da América do Sul, entre eles, o nosso. Fico feliz que a data não tenha se tornado outra comemoração comercial em que a preocupação é maior com a troca de presentes do que com a celebração em si, até porque eu estaria falida!

Muito bem, quero dizer algumas coisinhas sobre a amizade. Pra mim, a amizade verdadeira é um dos tipos mais generosos de amor, é um amor resistente, que suporta longos períodos de estiagem, suporta a distância, os defeitos, suporta opiniões contrárias e puxões de orelha, suporta até a ausência. Quando você finca a bandeira da amizade no coração de alguém, ninguém, além de você mesmo, consegue tirá-la de lá. Na infância, a amizade é leve e divertida, mas um tanto egoísta; na adolescência a amizade é a melhor parte, mas também é dependente e ciumenta; nos primeiros anos da vida adulta, os amigos se ocupam das demandas comuns e exigentes desta fase: carreira, casamento, filhos pequenos… e podem acabar se afastando. Então, quando tudo isso se acalma, dá uma saudade dos amigos! É a vez da amizade de gente grande, hora de ver quem de fato fincou seu coração. É justamente onde me encontro.

Minhas amigas são tão especiais (as suas também devem ser, mas as minhas são mais)! É tão bom estar com elas, observá-las, ouvi-las, ver como cresceram, como sabem das coisas, como são diferentes e ao mesmo tempo tão conhecidas. É uma energia boa que nos une, é uma torcida constante pela felicidade uma da outra, um querer bem gratuito. Nossas vidas correm em paralelo, a convivência não precisa mais ser diária, às vezes são meses sem um único telefonema (como é possível? culpa do tempo que passa tão rápido? culpa do Facebook?), mas a gente sempre retoma de onde parou. Assim como as pessoas e o amor, as amizades também amadurecem e ficam melhores, cheias de passado, mas também cheias de planos. Por mais antigas que sejam, têm o poder mágico de nos rejuvenescer. (Por uma grande concidência, um amigo de escola do meu marido ligou aqui em casa agora e vi a voz dele se encher de alegria num instante – que laço forte e lindo é esse!)

linha3 Hoje é o Dia do Amigo!

Amigas Amadas,

Não preciso colocar seus nomes aqui,

vocês sabem muito bem quem são,

conhecem a profundidade com que fincaram meu coração,

quero aproveitar o dia de hoje para dizer 3 coisas:

amo todas e cada uma do jeitinho que são,

obrigada por estarem sempre aí,

vocês são as melhores!

Parabéns pelo nosso dia!

linha3 Hoje é o Dia do Amigo!

PS: Mãe, você é a Número 1.

Glory Days

19
JUL
2012

Pequenos Grandes Prazeres

Balao

No desenho original do blog imaginei a seção Glory Days como um espaço para eu colocar narrativas sobre dias importantes da minha vida, como o texto de abertura, que fala sobre o dia do meu noivado. Resolvi, no entanto, ampliar a seção e incluir também textos avulsos que escrevo de vez em quando e que quero deixar guardados aqui. São estórias inventadas que ficarão embaralhadas com as reais e caberá a você distinguir uma da outra!

Os posts da seção Glory Days não são publicados na página da Home, então, quando tiver vontade, dê uma fuçada por lá pra ver se tem coisa nova – hoje, eu já adianto que tem!

Quem é mesmo a irmã mais velha?

18
JUL
2012

Quarentonas

Carla

Como é que a gente faz pra descrever uma pessoa que a gente ama demais? Sempre achei isso tão difícil, parece que as palavras não vêm e quando vêm não são suficientemente boas, fica faltando. Talvez devesse existir exponenciais para as palavras assim como existem para os números. Então eu poderia dizer que a Carla, minha irmã mais velha, é para mim especial2, linda3, preciosa5 e amada100000! Ela completou 40 anos no mês passado, sob protestos. A idade não combina com o estado de espírito e o ritmo animado da vida que ela leva! Minha irmã tem dois filhos crescidos, mas acho que já nasceu mãe! De uns anos pra cá, fez amizades novas e entrou no ritmo sertanejo e festeiro da cidade onde mora, na região oeste de São Paulo, vive rodeada de amigos e sua casa é o QG da turma – nunca a vi tão bonita e tão de bem com a vida (como isso deixa meu coração feliz!)! É uma menina de 40 anos e talvez agora eu é que seja a irmã mais velha!

Com vocês… a Cá:

pingpong Quem é mesmo a irmã mais velha?

Ping Pong

  • Uma cor: branca
  • Uma comida: paella
  • Uma bebida: saquê com qualquer fruta
  • Um barulho: do mar
  • Um lugar: minha casa (cheia, de preferência)
  • Um dia: nascimento dos meus filhos
  • Um artista: Johnny Depp
  • Um livro: “Adeus, China”, de Li Cunxin
  • Um sonho realizado: ser mãe
  • Um sonho a realizar: encontrar um companheiro (no verdadeiro sentido da palavra)
  • Uma palavra: amor
  • Um homem bonito: George Clooney
  • Uma mulher bonita: Angelina Jolie
  • O charme em pessoa: Richard Gere
  • Um medo: da morte
  • Um defeito seu: ansiedade
  • Um talento natural: organização
  • Uma saudade: dos meus filhos bebês
  • Uma mania: combinar tons de roupa
  • Um mal necessário: acordar às seis da manhã…kkk
  • O homem da sua vida: MEU PAI

filo Quem é mesmo a irmã mais velha?Filosofando…

  • Eu sou… puro coração (quase nada de razão… rsrss)
  • Eu jamais… trairia
  • É muito difícil… não saber dizer não
  • Um dia eu vou… entender TUDO de fazenda… rsrss
  • Sinto falta de… um companheiro
  • Fico p… da vida… com mentira
  • Adoro… dançar
  • Detesto… arrogância
  • Eu não resisto… a sorvete
  • Meu cabelo é… pouco
  • Perdôo… tudo, menos que judiem dos meus filhos
  • Me arrependo… de muitas vezes agir antes de pensar
  • Não faz nenhum sentido… se sentir melhor que alguém
  • Fazer 40 anos foi… um pouco tenso… rsrss

pergunta Quem é mesmo a irmã mais velha?Perguntas descabidas…

  • Quem gostaria de ser por 1 dia?
  • Ivete Sangalo, deve ser bem divertido!
  • Qual é seu herói preferido?
  • Jesus.
  • Qual foi o motivo da última gargalhada que você deu?
  • Alguma besteira que a Mariana falou, com certeza.
  • O que te fez chorar da última vez?
  • Pensar que meus pais não estarão pra sempre comigo.
  • Qual super-poder gostaria de ter?
  • Fazer o tempo voltar pra consertar umas coisinhas.
  • Se pudesse escolher uma única lição para deixar aos seus filhos, qual seria?
  • Só faça para os outros o que você gostaria que fizessem pra você.
  • Quem você quer por perto quando está com medo?
  • Meus pais.
  • O que te emociona muito facilmente?
  • Tudo relacionado a criança.
  • Qual o sentido da sua vida?
  • Meus filhos.
  • Deus existe? Como Ele é pra você?
  • Sim, um Paizão.
  • Se fizessem um clipe sobre a sua vida qual seria a trilha sonora?
  • Minha vida é um enrosco! Precisaria de umas 20 trilhas sonoras!
  • Qual animal lembra você? Por quê?
  • Bicho preguiça, porque eu sinto muito sono.
  • O que você gostaria de deixar cair e nunca mais pegar de volta?
  • Minha insegurança.
  • Das pessoas que você conhece, qual compartilha mais suas opiniões e gostos?
  • Cristina Valias, minha irmã caçula.
  • O que deixou por fazer?
  • Muita coisa.
  • Ouça os seus pés. O que eles dizem neste momento?
  • Tá frio.
  • Que animal selvagem você gostaria de ter no quintal?
  • Um tigre.
  • O que tem atrás da porta?
  • Nada.
  • Com que você gostaria de bater papo por horas?
  • Com Deus.
  • Com quem você sempre pode contar?
  • Com minha irmãs.

 

Carla21 Quem é mesmo a irmã mais velha?

Põe no papel!

16
JUL
2012

Minhas Dicas

Moleskine

Na época da escola eu tinha o hábito de estudar escrevendo, anotando os nomes, datas e informações mais importantes porque assim eu memorizava melhor. Talvez por isso eu goste tanto de fazer anotações, registrar as coisas pra que elas existam de uma maneira mais concreta. Gosto muito de fazer diários de viagem, por exemplo, vira e mexe eu pego um pra ler e fico surpresa com a quantidade de coisas que teriam sido esquecidas se eu não as tivesse anotado – nome de restaurantes e lugares especiais, frases engraçadas das crianças, um vinho gostoso, sensações, sei lá, um monte de coisas experimentadas. Quando passo pro papel, sinto que estão oficialmente registradas e isso me faz bem.

No ano passado, descobri os Moleskines. Não sei bem onde andei todos estes anos sem ter descoberto estes caderninhos sensacionais antes! Poderiam ser apenas cadernos, mas quando descobri a história deles, caí de amores… Dizem que os legendários cadernos foram os preferidos de artistas e escritores como Van Gogh, Picasso, Ernest Hemingway e Bruce Chatwin. Inicialmente eram simples e padronizados, tendo como grande diferencial o fato de suas páginas serem costuradas ao centro, permitindo uma abertura confortável de 180 graus, além de uma tira de elástico que ajudava a manter as páginas fechadas e protegidas após o uso. Os cadernos chegaram a ser extintos em 1986, quando uma pequena empresa familiar localizada em Tours, na França, deixou de produzi-los.

Foi uma empresa italiana que registrou e relançou a marca 12 anos depois. Atualmente, depois de um banho de século XXI, os cadernos ganharam um monte de versões, cores, tamanhos, modelos, edições especiais bacaníssimas – um sonho!

A coleção mais apaixonante é a Passions (perdão pelo trocadilho…). Os cadernos desta coleção são tematizados e já vem com as páginas diagramadas pra receber as informações específicas – um prato cheio pra quem não gosta muito de escrever, mas quer registrar suas experiências. Num ataque incontrolável à loja on line, comprei um Passion de “livros”, outro de “filmes” e outro de “viagens”, mas também tem pra vinhos, restaurantes, músicas, cães e gatos… Comprei na “Loja do Moleskine”, loja on line com sede em Lisboa, que tem todos os produtos. A encomenda chegou dentro do prazo combinado (uns 20 dias, acho). Também vi alguns modelos na Livraria da Vila, em São Paulo, mas era pouca coisa.

O caderno das cidades é outra loucura! É uma mistura de guia com diário de viagens – tem mapas, linhas de metrô e, o mais importante, suas anotações! Nova York, Paris, Amsterdã, Londres… quase tenho um treco com estas coisas! O vídeo abaixo ilustra bem.

Diz a sabedoria popular que só temos uma vida completa se plantarmos uma árvore, tivermos um filho e escrevermos um livro. Árvore já plantei, filhos tenho dois e se eu não conseguir escrever um livro, por favor, considerem meus Moleskines!

maisquarenta

SantaElisa1

“I’m a dreamer, but I’m not the only one” (J. Lennon)

Saudações mineiras a todos vocês! Escrevo diretamen...

Ciranda

Amando inventar estórias…

Semana que vem acaba o curso de Escrita Criativa que eu...

Foto Silvia

Silvia Couto

Nossos maridos são primos e nos conhecemos por conta d...