Xissssssss!

18
FEV
2013

Inspirações

Linguagem Univeral

Quando eu era adolescente, meus dois dentes da frente eram muito separados (dava pra colocar um palito de fósforo entre eles, cabia certinho, um horror!), mas a arcada dentária era bem feita e o dentista disse pra minha mãe que meus dentes eram ótimos, que o vão entre eles diminuiria com o nascimento dos sisos (aos 18!) e que era bobagem colocar aparelho dentário em mim. Eu achava aquele vão muito feio, morria de vergonha e, sem querer, criei o hábito de rir tampando a boca com as mãos. Fiz isso por um bom tempo até que um dia, durante uma conversa à toa, um garoto, que me paquerava há alguns carnavais, segurou o meu braço na hora que eu ia cobrir uma risada e, com uma leve e sincera irritação, me falou assim: “pára de ficar tampando a boca, você fica linda sorrindo!” – pode até ter sido um galanteio bobo, mas eu acreditei nele e nunca mais levei a mão à boca ao sorrir. Libertei meu sorriso e recuperei a espontaneidade que este gesto tão gostoso, bonito e saudável merece. Não tive muitas notícias do garoto depois da adolescência, mas gostaria que ele soubesse o bem que me fez.

É interessante pensar que no universo quase infinito das diferenças culturais – como os russos que se cumprimentam com beijo na boca, os escoceses que usam saia, os japoneses que se vestem de branco em sinal de luto e os chineses que arrotam sem cerimônia na nossa cara – o sorriso signifique a mesma coisa, em todos os lugares do mundo, em todas as culturas. Até os animais domésticos o compreendem. Vamos imaginar um rosto com um sorriso sincero, natural e espontâneo e tentar decifra-lo, como o da negra bonita que carrega um enorme cacho de bananas na cabeça, na imagem aí de cima –  o que podemos dizer dela, só por esta foto? Nossa, um monte de coisas, coisas boas. De alguma maneira, esta estranha ganha nossa simpatia. Agora, vamos tentar imaginá-la sem o sorriso, com um semblante mais sério. Fica bem mais difícil saber quem ela é, estará mais “fechada”, o que diminui nossa receptividade, não acham?

O sorriso tem poderes muito fortes. Não posso dizer que se trata de magia, porque os neurocientistas já decifraram todas as reações químicas que ocorrem no nosso cérebro diante de um sorriso, mas não deixa ser de natureza divina. É uma pena que, em geral, a gente seja tão mesquinho em relação aos nossos sorrisos. Na verdade, é uma mesquinharia bem burra porque, ao contrário de bens materiais que preferimos acumular só pra gente, os sorrisos, quando não oferecidos aos outros, simplesmente não existem. É um bem precioso que só é produzido ao ser ofertado. Quem poupa seus sorrisos fica mais pobre e empobrece a vida de quem está à sua volta.

Eu costumo ser uma pessoa bem-humorada, mas queria sorrir mais, principalmente a estranhos que me prestam serviços, como a caixa do supermercado, o porteiro, o frentista, o flanelinha. Às vezes, ao sair de uma padaria ou de uma farmácia, entro no carro e penso: “poxa, não custava nada ter dado um sorriso sincero ao invés desse bom dia chocho ao balconista. Da próxima vez, vou lembrar”. Às vezes lembro, às vezes não, mas continuo tentando estar atenta, até porque acho gostoso quando faço.

Ok, vocês podem estar pensando que tem tanta gente azeda por aí que nem merece um sorriso nosso. É verdade. Mas, de vez em quando, só de pirraça, sou extremamente gentil com uma pessoa grosseira ou mal humorada, só pra ver quanto tempo ela resiste às minhas gentilezas. É engraçado, mas o mais comum é a pessoa ficar desconfortável, um pouco desarmada, meio sem graça com a própria má vontade. Um sorriso sincero é uma prova concreta e visível de que há algo de bom dentro de nós e ninguém resiste à força que isso tem.

Ótima semana pra vocês (e lembrem-se de mostrar os dentes!).

linha3 Xissssssss!

“Quero que rias da noite,

rias do dia e da lua,

e rias das avenidas

retorcidas desta ilha,

podes rir deste rude

rapaz que muito te quer,

mas quando eu abro os olhos

para ir logo fechando,

quando meus passos vão,

quando meus passos voltam,

nega-me o pão, e o ar,

a luz, a primavera,

mas o teu sorriso nunca

porque assim morreria.”

 

Pablo Neruda

(Trecho do poema “O Teu Sorriso”)

comentários

  1. lilia... disse:

    Já estou cansada de elogiar vc . Não vá ficar convencida ; mas vc tem escrito coisas lindas , filha !Está realmente de parabens .

envie seu comentário

maisquarenta

Linguagem Univeral

Xissssssss!

Quando eu era adolescente, meus dois dentes da frente e...