Procrastinação

12
MAR
2013

Inspirações

LOLA

Gosto muito da revista Lola, gosto do layout, dos temas, dos artigos cujos autores nunca se repetem, gosto do fato destes mesmos autores raramente serem escritores, o que dá personalidade e frescor a cada texto; não é popular, mas também não é elitizada, gosto das dicazinhas bacanas a cada página, gosto da falta de afetação, gosto do conteúdo e até das raras, mas gostosas futilidades. E ainda que não fosse minha revista feminina preferida, eu teria comprado o exemplar de março/13 do mesmo jeito, só pela lindeza da Meryl Streep que estampa a capa. Algumas atrizes podem até chegar perto, mas o topo é dela e talvez ainda não tenha nascido quem vai tirá-la de lá, pelo menos pra mim. Amor à Primeira Vista, As Pontes de Madison, A Escolha de Sofia, O Diabo Veste Prada, Mamma Mia!, Dama de Ferro, só pra citar alguns, estão aí pra mostrar o quanto um ator/atriz é capaz de nos emocionar. 17 indicações e 3 Oscar não é pra qualquer um. Ela é extraordinária e continua naturalmente linda aos 63 anos.

Mas, por incrível que pareça, e de acordo com o título do post de hoje, não é sobre a Meryl Streep que eu queria escrever, mas sim sobre o artigo escrito por Constanza Pascolato, para a revista Lola, de março, o que justifica minha introdução. No artigo entitulado “O Timing da Ruptura”, a dama da elegância trata de uma maneira bastante pessoal do nosso hábito daninho de adiar o que tem que ser feito. Existem decisões ou atitudes na nossa vida que precisam ser tomadas, por mais chatas e difíceis que sejam, mas que por razões de ordem prática ou psicológica a gente adia e adia e adia. Eu costumo ser a rainha da procrastinação, mas tenho sentido que é passada a hora de abandonar este reinado (os súditos são terríveis!). Tenho dois exemplos claros e simples pra contar. O primeiro, de ordem prática: o escapamento do meu carro está furado há quase um ano (ou talvez já faça mais de um ano), mas detesto oficina e detesto ficar sem carro, então vou deixando… O segundo é de ordem psicológica: meu cabelo está salpicado de fios brancos, já chama bastante a atenção quando uso rabo de cavalo, mas não tomo a atitude de pintá-los, talvez porque eu saiba que nunca mais deixarei de fazê-lo.

Me pergunto: será que é da nossa natureza adiar o que nos desagrada? Ou será que o “vamos-acabar-logo-com-isso” é que deveria ser nosso comportamento natural? Considerando que a segunda opção é, sem sombra de dúvidas, a mais rápida, eficaz e que gera melhores resultados pra nossa vida, preciso corrigir meu modus operandi pra já!  Sendo assim, faço um juramento ao abdicar do meu trono:

linha1 Procrastinação

Prometo não voltar a escrever outro post sem antes ter ido à oficina!

linha2 Procrastinação

Quanto aos cabelos… me dá mais um tempinho?

comentários

  1. lilia disse:

    Eu que o diga!!! Vc é a campeã do “deixa para depois”

envie seu comentário

maisquarenta

LOLA

Procrastinação

Gosto muito da revista Lola, gosto do layout, dos temas...