Amor X Desejo

28
FEV
2013

Inspirações

Ghost

Se você for fluente no inglês pode parar por aqui e ir direto para o vídeo (certamente o que você vai assistir é bem mais completo e interessante do que qualquer coisa que eu escreva). Para os que não dominam o inglês, quero fazer um breve resumo sobre a palestra extraordinária que aparece neste vídeo, ministrada pela psicóloga e pesquisadora Esther Perel. O título da palestra é algo como “O Segredo do Desejo nos Relacionamentos Duradouros” e tem como base uma pesquisa minuciosa feita por ela em diferentes culturas mundo afora. As conclusões a que a pesquisadora chegou são muito interessantes e, depois da palestra, parecem óbvias. Abaixo destaquei os pontos que mais me chamaram a atenção, começando pela pergunta:

Somos capazes de desejar aquilo que já temos?

Caramba, essa pergunta daria dias e dias de reflexão! Temos uma tendência fortíssima a valorizar o que não é nosso, a perder o interesse pelo que já conquistamos. Talvez por isso seja importante nunca darmos as pessoas por conquistadas, manter as pessoas que amamos por perto (e felizes) é um exercício continuo que deveria nos desafiar a cada dia.

Amor = ter / Desejo = querer

Temos duas frentes igualmente fortes atuando dentro de nós, tanto homens como mulheres. Uma delas pede cuidado, segurança, estabilidade, conforto, cumplicidade, companheirismo e isso se chama “lar”, se chama amor. A outra frente quer o novo, a aventura, o mistério, o desconhecido, a adrenalina, e isso se chama desejo. É possível que estas duas frentes se satisfaçam na mesma fonte? Na mesma pessoa? A resposta da palestrante é “sim”, mas existem alguns cuidados importantes que precisamos manter em mente. Ao perguntar para centenas de pessoas em diversas partes do mundo “em que situação você se sente mais interessado/apaixonado por seu(sua) companheiro(a)”, as respostas se repetiram e foram basicamente as seguintes:

1. Quando estamos longe um do outro, quando estou sentindo sua falta

2. Quando o(a) observo fazendo algo que goste, quando está no “seu ambiente”, quando está confiante e radiante consigo mesmo

3. Quando rimos juntos ou nos surpreendemos com algo ou quando surge alguma novidade

A partir destas respostas repetitivas, Esther Perel concluiu que o desejo precisa de espaço, espaço pra observar, espaço pra imaginar. É na imaginação que mora o desejo. “Sexo não é algo que se faz, mas um lugar para onde se vai”, afirma Esther. Se isso é verdade, e eu acho que é, então a imaginação é mesmo a chave de tudo! Nesse momento, ela reforça a importância de você dar liberdade ao outro, mostrar que confia, deixar que tenha sua individualidade e admirá-lo por isso. O ciúme e a possessão não combinam com o desejo.

A responsabilidade é nossa

É natural ficarmos esperando que o outro ou algum estímulo externo nos desperte o desejo, especialmente as mulheres, mas o que a pesquisadora afirma é que nós somos as responsáveis por manter nosso desejo ativo. Precisamos nos conhecer sem pudores, entender o mecanismo individual que desperta em nós o desejo e mantê-lo alimentado. Os seres humanos são a única espécie que faz sexo para ter prazer e conexão com o outro. Não desperdicemos tamanho dom!

Este é o resumo do resumo, tem muito mais coisas interessantíssimas na palestra… prometo postar de novo se achar a tradução, ok? Mas se tiver alguém aí por perto que fale inglês, peça ajuda porque vale a pena! icon wink Amor X Desejo

linha5 Amor X Desejo

comentários

  1. Incrível ler esse texto e conseguir observar em palavras o que sempre comento com meu “paixão”. Nos conhecemos há pelo menos 20 anos, nos relacionamos há uns 12 anos e sempre digo que o amo e o desejo cada vez mais. Agora o desafio é chegarmos aos 90 beijando de língua!

envie seu comentário

maisquarenta

Ghost

Amor X Desejo

Se você for fluente no inglês pode parar por aqui &he...